Online Consulting
  • Português (Brasil)
  • English (United States)
Home
A+ R A-
August 2019

Monday, 05 August 2019

NotreDame Intermédica prepara onda de aquisições
Monday, 05 August 2019 16:52 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.
Três delas já em fase de due diligence, diz site

Exame 

O portal Exame destaca que a operadora de saúde brasileira NotreDame Intermédica está em conversas para oito potenciais aquisições, com três delas já em fase de due diligence, segundo fonte familiarizada com o assunto.

A NotreDame Intermédica já assinou um non-disclosure agreement para as oito possíveis compras, disse a pessoa, que pediu para não ser identificada porque a informação não é pública. Na semana passada, a empresa informou que assinou um acordo para comprar o Grupo Ghelfond por R$ 240 milhões. Ainda neste ano, a empresa já havia anunciado a compra do Hospital AMIU e da operadora Belo Dente.

A Intermédica não quis comentar, citando período de silêncio antes da divulgação de resultados.

A Intermédica, que foi adquirida pela Bain Capital em 2014, conta com 21 hospitais, 75 centros clínicos e 20.000 funcionários. Desde a sua oferta pública inicial, em abril de 2018, as ações da operadora acumulam alta de 165%, contra ganho de 19% para o Ibovespa no mesmo período. A Bain Capital vem reduzindo a sua fatia na empresa, mas ainda é o principal acionista.


Interferência com parabólicas pode atrasar leilão do 5G no Brasil, aponta Anatel
Monday, 05 August 2019 16:51 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.

CANALTECH

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) programa o leilão das faixas de 5G no Brasil para março do ano que vem. Contudo, esta data pode mudar por conta de interferência no sinal de TV aberta. A proposta é de que a frequência de 3,5 GHz seja uma das utilizadas no novo padrão, o que impactaria em transmissões da TV aberta via antenas parabólicas, ainda usadas em zonas rurais.

A probabilidade de interferência já era uma questão em aberto para o leilão. Contudo, o presidente da Anatel, Leonardo Euler Morais, se mostrava positivo de que não haveria problemas com parabólicas. Em entrevista ao TeleSíntese no final de junho, ele afirmou que o impacto seria pontual, o que poderia ser resolvido com alternativas técnicas.

Agora, em entrevista ao Valor, o presidente mudou de postura. O assunto está em debate na Anatel, sendo que o presidente afirmou que “não sabemos em quanto tempo será encerrada esta discussão”. Para ele, há uma “grande incerteza” sobre se haverá a possibilidade de manter o prazo para março.

Apesar do problema, a Agência ainda pode ter tempo para lidar com o assunto das antenas após o leilão. A implantação do 5G deve acontecer em grandes centros urbanos, nos quais já houve a transição para TV aberta digital.

alt
Leonardo Euler Morais, presidente da Anatel (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Contudo, a interferência pode ser um ponto crítico de queda do valor das frequências. “Não podemos impor um custo elevado para o setor ao tentar mitigar as interferências, porque isso certamente vai reduzir o potencial de receita do leilão”, disse o presidente ao Valor.

Após o levantamento do problema a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) foi convocada para reunião com a Anatel. Uma representante da empresa informou que é possível que emissoras de TV façam ajustes técnicos para antenas de transmissão, mas que o mesmo não pode ser feito para as de uso doméstico.

Há a possibilidade de fabricantes de antenas passarem a adotar filtros para evitar este tipo de interferência, mas isso encareceria um produto que já é voltado a consumidores de baixa renda.

O plano é de que três faixas sejam leiloadas em março do ano que vem: há uma capacidade total de 200 MHz para a linha de 3,5 GHz; 100 MHZ para a faixa de 2,3 GHz, além do restante da faixa de 700 MHz, num total de 10 MHz de capacidade.


Anatel ordena operadoras a proibirem ligações para a própria linha
Monday, 05 August 2019 16:50 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) solicitou que as operadoras de telefonia proíbam as ligações feitas de um número para a própria linha. A mudança deve valer tanto para empresas convencionais, celulares e de VoIP, e vem como forma de bloquear a prática do Spoofing, método usado por hackers para invadir os smartphones de autoridades brasileiras, incluindo o do ministro Sérgio Moro.

A decisão da agência segue recomendação feita na última semana pela Polícia Federal, após a operação que prendeu quatro pessoas que estariam ligadas às intrusões que levaram ao vazamento de informações privadas de envolvidos na Lava Jato. Trata-se de uma vulnerabilidade no sistema de comunicações, pela qual uma ligação feita de uma linha para si mesma levava à caixa postal sem a necessidade de autenticação por senha.

Foi esse o modo usado pelos invasores, que inundaram os telefones das autoridades de ligações para, na sequência, solicitar o envio de um código de acesso ao mensageiro Telegram via ligação. As chamadas acabavam caindo na secretária eletrônica e, na sequência, eram interceptadas usando a brecha.

Além disso, a Anatel determinou que empresas de VoIP não poderão realizar chamadas a partir de números que não as pertençam, outro caminho que permitiu aos hackers utilizarem telefones que não eram deles para acessar caixas postais. A possibilidade de mascarar uma chamada com outro identificador ainda permanece disponível, mas apenas para sequências de uma mesma operadora e que já não estejam sendo usadas por terceiros. A agência, ainda, aguarda documentos da PF para abrir investigações que possam levar a multas quanto à prática, que é considerada irregular.

Fazem parte da lista de bloqueios, ainda, os aplicativos e serviços internacionais que emulam chamadas de celulares ativos no Brasil. Para lidar com isso, as operadoras implementaram filtros para ligações feitas do exterior, por meio da internet ou rede telefônica convencional, de forma a identificar tentativas irregulares de contatos que possam levar a golpes dessa categoria.

Ainda em resposta ao caso brasileiro, o Telegram também anunciou, nesta semana, que está desativando o recebimento de códigos de ativação por meio de ligações telefônicas, a não ser que o usuário esteja usando o sistema de autenticação em duas etapas. A ausência desse dispositivo de segurança vem sendo citada como o ponto fundamental para a invasão aos celulares de Moro e demais integrantes da Lava Jato, por mais que outras brechas no sistema telefônico brasileiro também tenham sido exploradas.

Fonte: Folha de S.Paulo

Last Updated ( Monday, 05 August 2019 16:51 )

Governo deve mudar regras de TV a cabo no Brasil
Monday, 05 August 2019 16:50 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.
 
 
 


CANALTECH

PorFelipe Demartini

O governo federal parece estar prestes a intervir nas regras que regem a TV a cabo no Brasil. De acordo com informações do Estadão, o Ministério da Economia já preparou a minuta de uma medida provisória que alteraria as leis do setor, permitindo que produtores de conteúdo façam a venda direta dos canais ao consumidor, sem mais dependerem de operadoras para isso.

A proposta alteraria a Lei de Serviço de Acesso Condicionado (SeAC), assinada em 2011 e que criou as normas atuais para o mercado de televisão por assinatura. É dela, por exemplo, que decorrem as cotas de programação nacional, a limitação de 30% de donos de canais sobre operadoras e o assunto que está em discussão entre a Anatele players do setor há alguns meses, a proibição da verticalização da oferta de conteúdo.

Assim como a Agência Nacional de Telecomunicações, os técnicos do Ministério da Economia também consideram a norma arcaica e incompatível com o movimento atual do mercado de entretenimento. Enquanto usuários demonstram cada vez mais preferência pelo streaming e a aquisição de conteúdos diretamente, uma restrição desse tipo no mercado brasileiro pode levar à uma redução dos investimentos no país, além de uma queda no número de assinantes sem que eles possam optar por alternativas caso queiram consumir o conteúdo de outra maneira.

A proposta da medida provisória é extinguir os artigos 5º e 6º do SeAC, justamente os que tratam sobre a participação de produtores de conteúdo em prestadoras de serviço e, também, os limites à venda direta de seus conteúdos. Para os especialistas, não existem benefícios comprovados do veto ao aumento da concorrência e ofertas do setor, enquanto sua permanência já demonstra efeitos negativos.

Entre eles está a briga judicial entre Fox e Claro, que também envolve a Anatel. Em junho, uma medida cautelar foi emitida pela agência proibindo a venda direta dos canais por meio do aplicativo Fox+, uma prática que estaria em desacordo à SeAC. Entretanto, um mês depois, a emissora obteve uma liminar que voltou a permitir a comercialização aos consumidores, uma decisão que, agora, a agência tenta derrubar.

Também está no centro da questão a fusão da AT&T com a Warner Media, já aprovada nos EUA, mas que exigiria mudanças de participação societária no Brasil, envolvendo a venda do braço local da companhia ou a saída do controle da Sky. Na última semana, o vice-presidente executivo do grupo, Jim Meza, afirmou que a incerteza e os entraves regulatórios brecaram os investimentos da companhia por aqui, devendo atrasar, por exemplo, a chegada do serviço HBO Max.


C6 Bank, de ex-BTG, negocia balcão de seguro
Monday, 05 August 2019 16:49 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.

A ideia é identificar um parceiro para atuar juntamente com a sua seguradora e que seja capaz de incrementar o portfólio junto aos clientes

O Estado de S. Paulo 

O Estadão revela que o C6 Bank, banco digital criado por ex-executivos do BTG Pactual, negocia o seu balcão de seguros. Um convite a potenciais interessados, seguradoras e resseguradoras, foi feito há menos de um mês. O lançamento do banco é nesta segunda-feira, dia 05, quando, inclusive, o C6 pode já anunciar alguma parceria para desenvolver o braço de seguros.

O C6 não quer vender seu balcão em troca de recursos como, por exemplo, está fazendo a Caixa Econômica Federal. A ideia do novato é identificar um parceiro para atuar juntamente com a sua seguradora e que seja capaz de incrementar o portfólio junto aos clientes, seja por meio de investimento em tecnologia ou expertise no assunto.

Procurado, o C6 Bank não comentou.

A investida de bancos digitais em seguros pode trilhar uma nova avenida de crescimento para o setor sob a ótica do bancassurance, produtos securitários vendidos via canais bancários. O Inter, por exemplo, já seguiu este caminho.


Porto Seguro tem lucro líquido de R$ 380,9 mi no 2º trimestre
Monday, 05 August 2019 16:48 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.
O Estado de S. Paulo

 

O Broadcast, do Estadão, informa que a Porto Seguro registrou um lucro líquido, sem 'bussiness combination', de R$ 380,9 milhões no segundo trimestre deste ano, 13,7% maior do que no mesmo período do ano passado. Com 'bussiness combination' - que leva em conta o valor de todo o intangível (marca, canal de distribuição) da parceria com o Itaú Unibanco -, o lucro líquido também cresceu no mesmo porcentual, para R$ 379 milhões.

O retorno (ROAE) no critério sem 'bussiness combination' atingiu 22,2%, porcentual 2,5 pontos porcentuais acima do registrado há um ano.

O resultado financeiro cresceu 46,5% para R$ 246,2 milhões, impulsionado pelo desempenho das alocações em títulos com juros indexados à inflação, pré-fixados e ativos de renda variável. 'A rentabilidade trimestral da carteira (ex previdência) foi de 2,4% (158% do CDI) no trimestre e de 4,8% (157% do CDI) no semestre', explica a mensagem da administração que acompanha os números. A receita total ficou em R$ 4,381 bilhões, queda de 2,5% na mesma comparação.

A sinistralidade total, por sua vez, foi de 51,6%, alta de 1,4 p.p. O Índice Combinado atingiu 93,4%, alta de 2,4 p.p. sobre o segundo trimestre do ano passado e caiu 1,8 p.p. em relação ao primeiro trimestre deste ano, devido à menor sinistralidade no seguro Auto, de 58,2% para 54,0% no comparativo trimestral. 'A empresa continua executando diversas iniciativas para melhoria da eficiência, conseguindo manter as despesas administrativas e operacionais estáveis (-0,2 p.p. vs. 1S18)', destaca a administração.

Os prêmios auferidos somaram R$ 3,690 bilhões, queda de 2,3% ante o segundo trimestre de 2018, 'em função do longo período de desaquecimento da economia e da redução do risco.' A frota segurada cresceu em 200 mil veículos ante o segundo trimestre de 2018 'e o recuo nos prêmios de Auto reflete o ajuste técnico nos preços decorrente da redução das frequências de roubo e furto. Os prêmios de Vida e de Saúde apresentaram crescimento de 10% em relação ao 2T18.'

Last Updated ( Monday, 05 August 2019 16:50 )

Furto e roubo: seguradora aceita carros antigos, inclusive os com mais de 30 anos
Monday, 05 August 2019 16:48 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.

FONTE: Maxicar

Seguro da Suhai tem foco nos veículos com mais de 20 anos, que representam mais de 6% da frota circulante nacional

A Suhai Seguradora, empresa do Grupo Suhai, líder no segmento de segurança pessoal há mais de 25 anos em todo Brasil, atende clientes que não tinham acesso ao seguro de automóveis, fosse pelo preço alto ou falta de aceitação das companhias tradicionais. Segundo estimativas da Suhai Seguradora, existe um mercado composto por mais de 75% de carros rodando sem seguro em todo Brasil. Dentro desse universo estão os usados com mais de 25 anos. Segundo dados divulgados pelo Sindicato Nacional da Indústria de Componentes (Sincopeças), há mais de 6% de veículos rodando com mais de 20 anos de uso.
Já em relação aos antigos com mais de 30 anos, a Federação Brasileira de Veículos Antigos já concedeu o Certificado de Originalidade a 19 mil veículos, para fins de Placa Preta. Outras entidades e clubes também são credenciadas pelo DENATRAN para este fim, então o número total de ‘Veículos de Coleção’ no Brasil é bem maior.

“A Suhai é uma seguradora focada na cobertura de roubo e furto de veículos. E por ser uma empresa que atua em nichos de mercado, valorizamos muito, entre outros, os veículos usados (mais de 10 anos), segmento muito alinhado com nosso modelo de atuação. Oferecemos cobertura de Roubo e Furto + Assistência 24h (com opção da cobertura de perda total por colisão e outros danos) para todos os modelos, marcas e anos de veículos, e contratação feita com Valor Determinado, quando o mesmo não possui FIPE, caso dos Veículos de Coleção. Ou seja, o valor é fixado conforme critérios de análise do mercado e do perfil do cliente”, explica Robson Tricarico, diretor comercial da Suhai Seguradora.

Entre as principais razões para que as seguradoras tradicionais neguem, quase que sempre, o seguro de um automóvel mais antigo, com mais de 10 ou 20 anos, está no fato de os antigos serem mais visados por servirem de base para abastecer o mercado informal de peças.

“Entendemos que para os donos de carros mais antigos ou até mesmo de coleção, além do valor financeiro, há um alto valor sentimental. Por isso, esses carros até são, de uma certa forma, mais expostos aos riscos, mas por outro lado, os motoristas são muito mais cuidadosos ao dirigir e não os deixam estacionados em qualquer lugar. Além disso, é importante frisar que somos especialistas neste tipo de seguro, e graças a nossa expertise, os índices de recuperação para estes perfis de veículos é diferenciado, e desta forma, conseguimos fazer o seguro para qualquer modelo, e por valores bem acessíveis”, explica Tricarico.


Login

Register

*
*
*
*
*

* Field is required