Online Consulting
  • Português (Brasil)
  • English (United States)
Home
A+ R A-
Tuesday, 16 July 2019
Oi aposta na rede de fibra, mas não se desfaz da móvel. Vai vender R$ 7 bi de ativos
Tuesday, 16 July 2019 15:55 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.

 


A estratégia da Oi para os próximos 3 anos vai fortalecer a sua maior riqueza – o backbone de fibra, com 363 mil Km- para se tornar a mais forte provedora de rede de transporte de dados no país. Tele também vai investir pesado no FTTH, para ser também forte no varejo da banda larga fixa e manter suas operações de telefonia celular. De onde virá o dinheiro? Venda de ativos e corte de custos. Crescimento previsto de receita será de 2% ao ano.

alt

A Oi apresenta hoje, 16, para o mercado, investidores e analistas a sua estratégia de atuação para o fim da Recuperação Judicial, prevista para o final de fevereiro. E a aposta da concessionária é fortalecer a sua maior riqueza – o backbone de fibra, com 363 mil Km – e investimento massivo na FTTH para se tornar a mais forte provedora de rede de transporte  e de varejo de dados no país. Anuncia também que irá manter as suas operações de telefonia celular, e se prepara para a 5G. De onde virá o dinheiro? Venda de ativos, que somarão R$ 7 bilhões, e corte de custos de R$ 1 bilhão ao ano a ser alcançado em 2021, além do crescimento da receita.

O foco estratégico da empresa será a sua rede de fibra, quando pretende se fortalecer tanto como provedora de oferta de dados no atacado, como no varejo. Para isso, ela irá manter os investimentos em seu backbone, fortalecendo e modernizando a rede para sustentar a demanda com os serviços de 5G que estão chegando.

Mas a empresa irá também com tudo para a rede de fibra ao usuário final, o FTTH, ou seja, quer ser uma grande fornecedora de banda larga rápida, para reagir àqueles que estão comendo seus mercados pelas bordas, entre eles os ISPs, que cresceram muito em sua região.

Com a aceleração massiva que pretende impor na rede de acesso da banda larga fixa, pretende alcançar 4,6 milhões de home passed (casas com fibra) até o final deste ano e 16 milhões em 2021. Esse aumento de investimentos  irá provocar um crescimento de 66% maior das casas cabeadas do que o inicialmente previsto pela operadora.

Esse grande impulso no crescimento da banda larga sobre a fibra se deve ao novo método de engenharia adotado pela Oi, de “rebordagem de uso”, que barateia e torna mais rápida a instalação das redes de fibra.

Móvel

Na telefonia móvel, a Oi avisa que tem planos para a 5G, mas não diz categoricamente que vai disputar o leilão de novas frequências previsto para março pela Anatel. 

Em sua estratégia, ela vai fazer o refarming (instalar nova tecnologia) na frequência de 1,8 GHz. Anuncia também que vai apostar nos clientes mais caros, e por isso quer aumentar market share no pós-pago, o que pode ser um alívio para os competidores, porque estava com planos bem agressivos no pré-pago, o que provocou uma queda nos preços nos últimos meses.

De onde vem o dinheiro

Para sustentar esse planejamento, a Oi contará, principalmente, com venda de ativos e resultados operacionais positivos. A empresa espera vender:

Venda em 2019:

*as torres de telecomunicações que ainda não foram vendidas;

* Unitel (operadora de telecomunicações de Angola);

Venda em 2020

*Data Center

* Ativos não estratégicos

Venda em 2021

* Imóveis (aqueles que forem autorizados pela Anatel)

Redução de Custos

Há também uma forte redução de custos, de R$ 1 bilhão em três anos. Os cortes serão feitos em vendas e marketing; processos organizacionais; Tecnologia da Informação (TI), Compras e rede.

Guidance

Até 2024 a Oi prevê crescimento anual de receitas de 2% ao ano (CAGR, ou taxa anual composta de crescimento); Ebitda (caixa) de rotina entre R$ 4,5 e R$ 5 bilhões este ano. E crescimento entre 15% a 20% no Ebitda de 15% a 29% até 2021.


Bloqueio de telemarketing vai avançar para outros serviços, diz Anatel
Tuesday, 16 July 2019 15:54 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.


Começou a funcionar hoje a plataforma “Não me Perturbe”, voltada para o cancelamento de telemarketing de telecom. Mas as operadoras terão mais 30 dias para fazer o bloqueio, segundo Fábio Koleski, gerente da Anatel

altDepois de acertar com as operadoras o lançamento hoje, 16, da plataforma “Não me Perturbe”, a Anatel (Agência Nacional de telecomunicações) pretende estender o bloqueio de chamadas para outros serviços de telemarketing agressivo que atormentam a vida do consumidor em todo país. A disposição da agência foi reforçada por Fábio Koleski, gerente de Relações Institucionais, Satisfação e Educação para o Consumo,  da Superintendência de Relações com o Consumidor da agência.

A nova plataforma gerida pelas operadoras de telecomunicações oferece o registro em um cadastro nacional único dos consumidores apenas referente aos serviços de telefonia móvel e fixa, banda larga e  TV paga. “A gente sabe que esse é o primeiro passo e não é a solução total dos problemas de telemarketing.  Outros serviços não regulados pela Anatel usam as redes das operadoras para chegar aos usuários, e estamos estudando como estender o bloqueio de chamadas indesejadas para ofertas que não sejam de telecomunicações. Isso envolve outras normas federais”, afirmou Koleski.

 

alt
Fábio Koleski: revisão no regulamento dos direitos do consumidor / Foto: Danilo Gondim

Durante a entrevista, o executivo da Anatel fez, porém, um alerta aos consumidores: O registro no cadastro nacional não terá efeito imediato. Ou seja, quem se inscreve hoje poderá continuar a receber ligações indesejadas. “30 dias é o prazo que tem unanimidade nas regras gerais sobre o tema, porque as prestadoras naturalmente trabalham com empresas terceirizadas, tem todo um fluxo até interromper e tirar o nome das listas de contatos, fluxo, aliás, que existe em todas as listas dos procons no Brasil. Existem 16 listas estaduais dos procons e todas preveem prazos”.

Se, por acaso, os consumidores não forem atendidos no prazo fixado pela plataforma, o gerente indica que reclamações poderão ser feitas na Anatel, nas ouvidorias das operadoras e nas ouvidorias das plataformas. As multas por descumprimento podem chegar a R$ 50 milhões.

A plataforma permitirá ao cliente registrar seu número de telefone para não receber ligações de telemarketing das maiores operadoras: (Algar, Claro, Oi, Nextel, Sercomtel, Sky, Tim e Vivo). É esperada que as demais operadoras do País aprimorem o atendimento dos consumidores que não querem ser incomodados. Bloqueios semelhantes já existem em 17 Estados. A vantagem da plataforma montada pelas operadoras é ter abrangência nacional.

Reforço no atendimento

Koleski destacou que a medida não irá contribuir para gerar uma onda de demissões no setor de telemarketing, considerado um dos segmentos da economia com forte absorção de mão de obra. “Esses trabalhadores do telemarketing poderão ser deslocados para melhorar outras áreas, como o do atendimento dos consumidores”, recomendou. 

De acordo com o gerente, o atendimento é um dos serviços prestados pelas operadoras que acumulam o maior número de reclamações, . A Anatel registra 13 mil reclamações, no primeiro semestre deste ano, contra o telemarketing agressivo. É uma pequena parcela, levando em conta que há 3 milhões de reclamações feitas por ano nesse canal.

Koleski explicou que a prática abusiva do telemarketing foi alvo dessa ação, feita em parceria com as operadoras, por conta da série de projetos em andamento no Congresso para coibir os abusos, reportagens sobre o assédio aos consumidores e a percepção geral do incômodo por ligações a qualquer hora e com ofertas insistentes. Mas trata-se de uma medida de autorregulação do setor. Por isso, acrescentou, a Anatel está revisando o regulamento relativo aos direitos do consumidor para estabelecer o que claramente deve ser vetado nas relações das operadoras com os usuários de seus serviços.


Oi prevê capitalização de até R$ 14,5 bilhões no novo plano estratégico
Tuesday, 16 July 2019 15:54 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.

Além dos R$ 4 bilhões obtidos com aumento de capital no começo do ano, Oi conta com créditos fiscais de devolução de PIS-Cofins, venda de torres e da Unitel neste ano, de data center e outros ativos em 2020, e imóveis em 2021.

Designed by Freepik
Designed by Freepik

O novo plano estratégico da Oi, divulgado hoje, prevê a a obtenção de até R$ 7,5 bilhões com a venda de ativos. Além disso, a empresa destaca que possui R$ 4 bilhões em caixa para investir em rede, resultantes do aumento de capital feito no começo do ano. Conta ainda com a liberação de créditos fiscais obtidos com a devolução de PIS/Cofins, conforme decisão judicial. Segundo a tele, será possível reaver no mínimo R$ 2,1 bilhões em créditos fiscais, mas o montante pode chegar a R$ 3,1 bilhões (R$ 1 bilhão ainda depende de uma ação em trâmite).

Tudo somado, a Oi conta com capitalização máxima de R$ 14,5 bilhões para financiar sua expansão até 2024, com foco em fibra, crescendo no segmento do atacado, no varejo com FTTH, no móvel pós-pago, além de entrar no leilão de frequências que será feito pela Anatel em 2020.

Além disso, a empresa prevê economias enormes, com o corte de mais R$ 1 bilhão de suas despesas operacionais anuais até 2021.

Venda de ativos e economia

Segundo o plano, a Oi venderá torres e ativos não-estratégicos ainda este ano e seu data center no primeiro semestre de 2020. A companhia também espera vender a participação que possui na operadora angolana Unitel e receber dividendos devidos por essa companhia até o final do próximo ano. Em 2021, venderá imóveis não considerados bens reversíveis. Com tudo isso, calcular receber entre R$ 6,5 bilhões e R$ 7,5 bilhões.

Já as economias que vão resultar em corte de R$ 1 bilhão nas despesas anuais da companhia até 2021 virão da simplificação da empresa em diversas frentes.

A Oi vai simplificar seu portfólio, a jornada do consumidor e rever a abrangência dos canais de venda. A tele também vai investir em automação e digitalização para simplificar processos internos, em continuidade ao que já vinha acontecendo, e deve promover a integração de empresas do grupo.

No segmento de TI, a operadora vai simplificar a arquitetura de sistemas, rever portfólio de serviços e projetos. Também deve negociar com fornecedores, revendo compras, preços e especificações. A companhia também diz que vai investir em eficiência energética na alimentação de sua rede.

Com esta economia, a Oi calcula que atingirá custos operacionais em linha com o mercado. Atualmente, a empresa é que a tem o maior Opex em relação à receita quando comparada a Claro, TIM e Vivo.


Anatel publica alterações no RSAC
Tuesday, 16 July 2019 15:53 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.


 


Auditores independentes terão que atestar a fidedignidade das informações econômico-financeiras apresentadas pelas prestadoras à agência

alt
Foto: Sinclair Maia

As prestadoras de telecomunicações terão que apresentar a contabilidade regulatória com documento emitido por auditores independentes que ateste a fidedignidade das informações econômico-financeiras. É o que determina a resolução com as alterações no Regulamento de Separação e Alocação de Contas (RSAC), publicada nesta terça-feira, 16, pela Anatel.

Além disso, prevê a publicação, pela Superintendência de Competição, de despacho com os novos itens da estrutura de informações contidas nas Tabelas 1 a 9 e nos Apêndices A B, C e D do regulamento. Nesse despacho serão incluídos novos produtos que estão fora do RSAC, como Transporte de Alta Capacidade e de Infraestrutura Passiva de Dutos e Subdutos.

O texto prevê que novas alterações nas tabelas, além da que será feita agora, no entanto, dependerá de consulta pública. Define aind


Incêndio de Carro de Luxo alerta para importância do Seguro Auto
Tuesday, 16 July 2019 15:53 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.
FONTE: CQCS | Ivan Netto

post1_01-1024x576

O incêndio de uma Range Rover no dia 7 deste mês, em Maceió, Alagoas, alerta, mais uma vez, para a importância do seguro automotivo. Comprar um veículo significa investir uma quantia, muitas vezes, bem alta e em muitas parcelas. Trata-se não só de um patrimônio, mas, também, uma conquista. Por isso, protegê-lo é fundamental!

No caso de Maceió, que ocorreu no cruzamento entre as Avenidas Fernandes Lima e Rotary, o Corpo de Bombeiros foi acionado e ninguém ficou ferido. O proprietário do carro, que não foi localizado, teria parado em uma farmácia momentos antes do incêndio e comentado com uma funcionária que o carro estava com um barulho estranho. Ao sair do estabelecimento, o carro já estava sendo consumido pelo fogo.

“Os três itens da garantia compreensiva no seguro de automóvel são colisão, incêndio e roubo. Então, se o proprietário tiver contratado um seguro, certamente terá cobertura, já que 99% das apólices de seguro de automóvel contém essa cobertura”, explica o advogado e vice-presidente da Fenacor, Dorival Alves de Sousa, que ainda alerta: “Agora, é importante lembrar que, se o incêndio tivesse atingido a farmácia, o dono do carro seria responsabilizado pelos danos. Por isso, sempre digo que é fundamental sempre procurar um profissional corretor de seguros na hora de contratar qualquer seguro”.


Justiça do Trabalho é competente para julgar seguro de vida oferecido por empresa
Tuesday, 16 July 2019 15:52 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.

FONTE: Conjur

seguro

A Justiça do Trabalho é competente para julgar processo que trata do pagamento de seguro de vida aos dependentes de um trabalhador falecido, quando o benefício é oferecido pelo empregador.

Com esse entendimento, a 9ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS) determinou o retorno de um processo ao primeiro grau para apreciação do tema.

O processo trata de ação ajuizada pela família de um motorista de caminhão que morreu ao ser atropelado em uma estrada. A família alega que o seguro não foi pago por culpa exclusiva da empresa, que não informou a morte do trabalhador à seguradora e também não apresentou a apólice aos beneficiários.

Para o relator do caso, desembargador João Batista de Matos Danda, o seguro de vida é previsto na convenção coletiva da categoria e atrai a incidência do inciso I do artigo 114 da Constituição Federal.

“É competente esta Justiça do Trabalho para processar e julgar o pedido relativo ao seguro de vida em grupo mantido pela empresa em benefício de seus empregados, porquanto decorrente da relação de trabalho”, afirmou o magistrado.

No primeiro grau, a empresa não foi responsabilizada pelo acidente, e os herdeiros conseguiram o pagamento das verbas rescisórias que não haviam sido quitadas pela transportadora. No entanto, o juízo entendeu que a Justiça do Trabalho não tinha competência para julgar o pedido de pagamento do seguro de vida. Com informações da Assessoria de Imprensa do TRT-4.


Câmara tem dois dias para aprovar novo seguro obrigatório
Tuesday, 16 July 2019 15:52 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.

 FONTE: CQCS

seguro

A Câmara tem apenas dois dias para votar os destaques que alteram o texto-base da nova Lei de Licitações (PL 1292/95). Caso não haja votação até quarta-feira, véspera do recesso parlamentar, a tramitação do projeto, com a indispensável votação desses destaques, somente será retomada no dia 06 de agosto (fim do recesso), atrasando ainda a implementação das propostas que interessam diretamente ao mercado de seguros.

Vale lembrar que, após a conclusão da votação na Câmara, o projeto ainda seguirá para o Senado.

De acordo com a Agência Brasil, o projeto estabelece que obras de grande vulto deverão ter um seguro de 30% do valor contratado. O objetivo é que o seguro garanta a conclusão da obra em caso de dificuldades enfrentadas pela construtora.

A seguradora deverá assumir direitos e obrigações da empresa em caso de descumprimento do contrato e providenciará a conclusão da obra mediante subcontratação total ou parcial.

Caso a seguradora não conclua a obra, poderá pagar a multa equivalente ao valor da garantia.

A proposta também estabelece a criação do Portal Nacional de Contratações Públicas (PNCP).

Segundo a Agência Brasil, esse novo portal pretende contribuir para diminuição de custos de transação e aumentar a competitividade dos processos licitatórios.

O texto também define a obrigatoriedade de autoridades e agentes públicos do órgão licitante atuarem para coibir irregularidades, com apoio dos setores jurídico e de controle interno. A pena para infrações relativas a processos licitatórios aumenta de dois anos para quatro anos e é instituída a possibilidade de interceptação telefônica e prisão preventiva durante as investigações.

A proposta cria também uma modalidade de contratação que atualmente não existe no país, o diálogo competitivo. A administração pública realiza diálogos com licitantes previamente selecionados para desenvolver alternativas para atender a necessidades específicas. Os interessados apresentam proposta final após o fim do diálogo.


Nova seguradora chega ao mercado com alta captação
Tuesday, 16 July 2019 15:52 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.

FONTE: CQCS | Sueli Santos

23047_2_EL


Segundo matéria publicada pela Infomoney, dados da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi) mostram que a previdência complementar aberta atual no Brasil gira em torno de R$ 870 bilhões, mas 90% dos planos de previdência privada se concentram nos grandes bancos. A XP Seguros chega para tentar mudar esse cenário.

A publicação mostra que em menos de dois meses de operação, a captação foi alta: mais de R$ 1 bilhão solicitados de portabilidade, sendo aproximadamente R$ 800 milhões já convertidos em reservas. “O resultado foi possível graças também ao poder de distribuição do Grupo XP e a sinergia com as outras áreas, como tecnologia, operações, originação de fundos, entre outras”, afirma Roberto Teixeira, responsável pela XP Seguros.

O trabalho em equipe somado a um serviço totalmente on-line, com taxa zero de carregamento, tem um potencial significativo. Hoje, são 19 fundos disponíveis na plataforma e com R$ 5 mil já é possível investir por meio de seu assessor de investimento.

Mas para além dos bons resultados já apresentados, a seguradora tem como objetivo mudar a forma como o brasileiro se prepara para o futuro, baseado em três principais pilares: educação financeira, portfólio de produtos diferenciado e experiência do cliente.

O executivo destaca que outro diferencial é a perspectiva adotada pela seguradora. “É uma questão simples: as seguradoras de maneira geral deveriam trabalhar e desenvolver melhores serviços, afinal vende-se serviço ao cliente e não produtos. Mas geralmente as empresas focam em portfólio e não na experiência do cliente. A XP Seguros vai focar na venda do pacote completo e não só no produto”, afirma Teixeira.

Com a reforma da Previdência para este ano, o assunto planejamento financeiro está sendo mais discutido. “No Brasil, não tem um produto fiscalmente mais eficiente do que a Previdência, mas o setor ainda é mal trabalhado e mal explorado. Estamos aqui para mudar essa perspectiva e explicar os conceitos sobre a previdência para o brasileiro para desmistificar esse tipo de aplicação”, afirma Roberto Teixeira, responsável pela XP Seguros.

Em termos tributários, ele explica que a portabilidade entre planos é um diferencial na previdência. “É um produto para se ter por décadas. Mas durante esse período é normal que o cliente queira realocar seu dinheiro em diferentes estratégias, conforme o cenário econômico ou momento de vida. O fato de não pagar IR a cada realocação, faz com que seus investimentos sejam maximizados ao longo do tempo”, diz.

Mas em outros tipos de investimentos, para fazer essa mudança de produto, a pessoa precisa resgatar o dinheiro para alocar em outra estratégia – o que inclui pagamento de imposto. Enquanto, que em planos de previdência essa realocação não tem custo algum. Ou seja, esse dinheiro fica no seu bolso rendendo. E faz muita diferença. Para ter uma ideia, em uma estimativa simples feita pela seguradora, mostra que considerando o patamar atual de juros no Brasil, fazendo apenas 10 realocações em 25 anos de investimento a pessoa poderia ter 10% a mais de dinheiro simplesmente por não pagar esses impostos.

Atualmente, a XP Seguros, em termos de captação líquida no ano, já é uma das 10 maiores do país – com menos de dois meses de operação. “O nosso objetivo em termos de reserva é estar entre as 10 maiores seguradoras em previdência do país em dois anos. O sonho é grande: queremos assessorar o cliente desde a primeira transação, até a fase de desacumulação, o acompanhando durante toda a vida”, finaliza Teixeira.


Seguradoras passam a oferecer seguro auto para carros antigos
Tuesday, 16 July 2019 15:51 NOTÍCIAS GERAIS
There are no translations available.

FONTE: CQCS

omega-cd-41-1998


Quem tem carro com mais de dez anos de uso sabe como é difícil fazer seguro para esses veículos. Pelo alto preço, muitas pessoas até chegam a desistir de proteger seus carros.  A reportagem do jornal Gazeta Online, do Espírito Santo, traz matéria sobre o tema.

O jornal traz o depoimento de um homem que tem três carros antigos (Santana 89, duas Parati – 87 e 94 e uma kombi 70) e desistiu de fazer seguro porque não considerou que o valor valesse a pena. “ Uma seguradora até me ofereceu uma cobertura, mas não achei que valesse a pena, já que considerei fraca”, diz ele.

Clique aqui e confira a matéria completa sobre o Auto Popular como opção para os carros antigos oferecido pela Tokio Marine, Azul Seguros e, também, pela HDI Seguros.


Login

Register

*
*
*
*
*

* Field is required